Novas linhas férreas reduzirão entrave no transporte de cargas

O setor ferroviário deve movimentar nos próximos cinco anos R$ 57,1 bilhões da iniciativa privada. São projetos que envolvem construção, ampliação e modernização das malhas –e que devem ajudar a diminuir os atuais entraves para quem depende do transporte de cargas no Brasil, como produtores de grãos e de minério de ferro.

“Se o país quiser ser competitivo e ter um crescimento sustentável, é imprescindível ter ferrovias eficientes. Esse é o modal indicado para transportar os produtos fundamentais na economia do Brasil”, afirma Adalberto Santos de Vasconcelos, secretário especial da Secretaria do PPI (Programa de Parcerias de Investimentos).

Dos projetos no setor, cinco fazem parte do PPI. São antecipações de renovação de concessões assinadas há pelo menos 20 anos que envolvem 12,6 mil quilômetros de malha. A expectativa é que as empresas invistam R$ 25 bilhões em cinco anos.

Há ainda trechos de expansão de malha e uma iniciativa do governo do Pará para conectar o norte ao restante do país: a ferrovia paraense.

“A expectativa é que 2018 seja o ano das ferrovias”, diz Fernando Simões Paes, presidente da ANTF (Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários).

Ele afirma que nem o momento fraco da economia vai frear o apetite dos investidores pelo modal. Chineses e russos estão entre os interessados, por exemplo, no projeto da Ferrogrão.

Fonte: Folha de São Paulo, 29/11/2017

Deixe um comentário

voltar para página inicial

Av. Presidente Vargas, 1733 - 6° e 7° andar - CEP 20210-030 - Centro - Rio de Janeiro - telefax: (21) 2221-0350 / (21) 2222-1404 / (21) 2509-0558 - aenfer@aenfer.com.br