Confraternização de final de ano

Associação de Engenheiros Ferroviários

Atenção Associado
Confraternização de Final de Ano
Dia 01 de dezembro de 2011

Local: Churrascaria Estrela do Sul – Maracanã

Av. Maracanã, 649 – Tijuca – Rio de Janeiro – RJ – Estacionamento no local.

Horário: 12h30min às 15h30min
Valor do convite:
R$ 60,00 (até dois convites por associado)
R$ 90,00 (a partir do terceiro convite)

Rodízio com Buffet, bebidas liberadas e sobremesa.
O pagamento pode ser efetuado em até 2 parcelas: 10/outubro e 11/novembro (boleto bancário)
Obs: Para pagamento à vista a venda será encerrada no dia 11 de novembro
Inscrições com Carminda ou Carlos pelos telefones (21) 2222-1404 / 2221-0350, pelo email: aenfer@aenfer.com.br”  aenfer@aenfer.com.br ou na secretaria da Associação.

A entrega do convite será feita na sede da AENFER.

Faça já sua inscrição, pois número de convites é limitado.

PARTICIPE ! SUA PRESENÇA É MUITO IMPORTANTE !

A DIRETORIA

Conheça os novos conselheiros da Aenfer e os condecorados

O Auditório Demosthenes Rockert, recebeu no dia 22 de setembro, inúmeros convidados que acompanharam a cerimônia de posse no triênio 2011 a 2014 de um terço dos membros dos Conselhos Deliberativo e Fiscal, do suplente de representante da Aenfer no Crea-RJ, a inauguração do retrato da engenheira Clarice Maria de Aquino Soraggi para o quadro de galeria de ex-presidentes da Aenfer e a entrega da Condecoração Engenheiro Paulo de Frontin edição 2011 à personalidades que se destacaram na defesa e valorização dos ferroviários e da ferrovia.

Os homenageados, muito emocionados, receberam a comenda durante a cerimônia. O evento contou com um delicioso coquetel realizado no Espaço Cultural Carlos Lange de Lima, dedicado também aos aniversariantes do mês de setembro.

O evento

 A solenidade começou às 11 horas da manhã num auditório repleto de associados, parentes, amigos e personalidades que acompanharam atentamente a cerimônia. A  diretora Social Telma Regina Jorge da Silva abriu o evento convidando para compor a mesa o presidente da Aenfer Luiz Lourenço de Oliveira, o presidente da Associação Mútua Auxiliadora dos Empregados da Estrada de Ferro Leopoldina José Raymundo Neves, o diretor Administrativo Jorge Antônio da Silva que representou o Clube de Engenharia e Senge, o presidente do Movimento de Preservação Ferroviária Victor José Ferreira e o neto de Paulo de Frontin, engenheiro Álvaro Werneck.

Dando prosseguimento à solenidade, a diretora Telma enfatizou que após a transformação numa entidade moderna, a Aenfer foi fortificada com novos associados e continua escrevendo sua história de tradição ferroviária. Em seguida ela deu a palavra ao presidente Luiz Lourenço. Em seu pronunciamento ele destacou a importância do patrono da engenharia nacional, Paulo de Frontin e a alegria da Aenfer homenagear com a medalha aos que prestam serviços à engenharia ferroviária.

Em seguida foi realizada a cerimônia de posse do Conselho Deliberativo com a assinatura dos novos conselheiros Aldo Paschoal Gama Signorelli, Eleonora Zanni, Helio Suêvo Rodriguez, Maria Stella Martins, Jorge Ribeiro, Pedro Marques de Carvalho e Vera Lúcia Bernardo Ferraço. Não puderam estar presentes na solenidade de posse os conselheiros eleitos Jorge José Avena  e Lizete de Souza Charret.

Logo após, a conselheira Fiscal, engenheira Elizabeth Cavalcanti Klang foi convidada a assinar o livro de posse e em seguida o engenheiro Gabriel de Souza Lino, eleito suplente do representante da Aenfer junto ao Crea-RJ foi também convidado a assinar o livro.

Dentre os associados efetivos, o conselheiro mais votado foi o engenheiro Helio Suêvo Rodriguez. Ele discursou em nome de todos os conselheiros empossados e disse que a sua responsabilidade aumenta, assim como dos demais conselheiros eleitos pela confiança que os colegas depositaram votando nesse grupo que chega. Dentre os associados especiais a analista Maria Stella Martins recebeu mais votos.

Discurso de Posse do conselheiro Helio Suêvo

 “No ano em que se comemora os 157 anos do limiar da Ferrovia no Brasil, os 152 anos da Estrada de Ferro Central do Brasil – EFCB, a mais importante ferrovia do país e os 70 anos da nossa Associação, fui reeleito como membro do Conselho Deliberativo, o que não só aumenta a minha responsabilidade como também dos demais conselheiros eleitos pela confiança dos colegas que depositaram os seus votos nesse Grupo para representá-los na defesa da classe e da ferrovia.

É notório que o rodoviarismo “tendencioso” influenciou diretamente na decadência do sistema ferroviário brasileiro basicamente nos últimos anos.

Apesar do Governo reconhecer que nos últimos anos, em contra partida às concessões ferroviárias, as empresas empenham-se na melhoria da condição operacional das malhas. Também adquiriram locomotivas a vagões além de recuperar a frota sucateada, herdada do processo de concessão.

Na prática, o que observamos é que no decorrer da privatização do sistema ferroviário brasileiro, iniciado em março de 1996, ocorrem desmandos na maioria das concessões com a dilapidação e agressão ao patrimônio público. O que estamos constatando é que grande parte das concessionárias estão aumentando as suas produções apenas nos trechos de grande demanda, abandonando ou subutilizando os trechos não rentáveis, relegando inúmeros trajetos ao sucateamento.

As questões levantadas pela Diretoria e o Conselho da Aenfer, como podemos citar, por exemplo, as questões políticas administrativas junto aos Ministérios do Planejamento e dos Transportes referentes a Refer/Sesef e complementação, assim como as questões técnicas, dentre elas a retomada do desenvolvimento do transporte ferroviário de carga através do Plano Nacional de Logística e Transportes desenvolvido pelo Ministério dos Transportes, planejado para implantação de mais 12.000 Km de ferrovias até 2025 e dos sistemas metroferroviários, a implantação do Trem de Alta Velocidade, da viabilização do Museu Ferroviário Nacional e a maior atenção a Preservação Ferroviária no que se refere a reativação de algumas estradas de ferro históricas relegadas ao ostracismo, estão sendo monitoradas e acompanhadas pela Aenfer na sua incansável luta.

Apesar do momento difícil, mais uma vez, vejo uma luz no fim do túnel, o que me enche de esperança e fé para um futuro melhor e com certeza “a classe ferroviária não ficará fadada a extinção”.

Helio Suêvo Rodriguez

 

Primeiro trem chinês da SuperVia chega ao Rio

  O primeiro dos 34 trens chineses comprados pelo governo estadual para a SuperVia chegou na terça-feira (27)  ao Porto do Rio. A previsão era que a composição fosse desembarcada até a noite. O lote todo custou cerca de US$ 188 milhões e foi encomendado à Changchun Railway Vehicles, de Changchun, a mesma montadora que está produzindo os 19 trens comprados pela concessionária Metrô Rio.

 De acordo com o cronograma, todos os trens serão entregues até junho do próximo ano. A composição que chegou na terça-feira e ainda será testada antes de entrar em operação com passageiros nos ramais da SuperVia. Segundo o governo do estado, os testes operacionais com a composição chinesa já começam em 20 dias.

 Vagões refrigerados e com bancos acolchoados

 As demais composições vão ser embarcadas em lotes de três e quatro, com intervalos de cerca de um mês. Os trens terão capacidade para transportar até 1.300 passageiros. Ainda de acordo com o estado, os vagões contam com tecnologia de ponta e circuitos de tração e frenagem modernos. Como parte do acordo contratual, a empresa chinesa oferece garantia de assistência técnica de três anos, incluindo a manutenção e a troca de peças. 

Os passageiros vão viajar em vagões refrigerados, com bancos acolchoados, bagageiros e TVs de LCD. Os vagões contarão com 54 assentos de fibra com tecido sintético e individualizados. Oito deles serão reservados a idosos, gestantes e portadores de deficiência. De acordo com a SuperVia, haverá quatro TVs que exibirão noticiário, mensagens de campanhas institucionais.

 Nova licitação para compra de 60 trens ainda este ano

 Cada vagão será equipado com seis bagageiros para mochilas, sacolas e outros objetos. Haverá som ambiente e a temperatura ficará em torno de 23 graus. Com isso, a frota da SuperVia passará a contar com 68 trens refrigerados. O sistema de segurança de cada composição contará com câmeras internas, que captarão imagens em ângulos de 360 graus.

 Ainda este ano, a Secretaria estadual de Transportes vai abrir um novo processo de licitação para a compra de mais 60 composições para o sistema ferroviário do Grande Rio.

Fonte: O Globo, 28/09/2011

 

País não pode depender de caminhões para transportar cargas, diz ministro

O ministro da Secretaria de Portos da Presidência da República, José Leônidas Cristino, afirmou que é vital para o Brasil investir nos transportes hidroviário e ferroviário para melhorar o sistema de transportes como um todo. “Hoje o transporte aquaviário representa 3% do total, não tem cabimento nenhum toda a produção do Brasil ser transportada pelas rodovias”, ressaltou.

Cristino lembrou que, ao transferir as cargas, atualmente levadas por caminhões, para navios cargueiros, será finalmente possível recuperar o sistema rodoviário nacional.

“As rodovias foram dimensionadas para cargas de 20 e agora a carga está em 45 toneladas. Não há asfalto que resista. Essas cargas devem ir para as ferrovias e para hidrovias para melhorar todo o sistema”, explicou José Leônidas Cristino participou do seminário Desafios da Infraestrutura Portuária, promovido pela Frente Parlamentar Mista em Defesa da Infraestrutura e pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).

 Fonte: Agência da Câmara, 22/09/2011

Seminário discute Bondes de Santa Teresa

Seminário discute Bondes de Santa Teresa

Por Antônio Pastori, Presidente da AFPF – Assoc. Fluminense de Preservação Ferroviária

Dia 26 de setembro, aconteceu um Seminário Técnico sobre os Bondes de Sta. Teresa, promovido pela AMAST – Ass. dos Moradores e Amigos de Sta. Teresa.

 Após mais de três horas de discussão e debates acirrados, para mim ficou extremamente claro que:

A Engenharia nacional tem total condições de tratar do problema, sem haver necessidade de consultar os engenheiros portugueses, sem nenhum demérito; vários depoimentos relataram problemas de engenharia ferroviária – insolúveis aos ohos dos técnicos no exterior – que foram aqui resolvidos satisfatoriamente.

Deve ser criada uma Comissão para acompanhar a “intervenção” e apresentar soluções tipo, “Qual o melhor modelo gerencial: uma Fundação, OSCIP ou deve continuar sobre o instável guarda-chuva do Estado?”

Deverá ser oferecida denúncia ao Ministério Público para intimar os verdadeiros responsáveis que foram omissos na questão da manutenção.

Deverá ser elaborada uma Carta, Manifesto, Abaixo Assinado ou algo semelhante, expondo os problemas, apontando soluções para o Sistema de Bondes e  pedindo apoio popular.

Deverá ser convocada uma nova Audiência Pública; a anterior “não valeu”, pois  já estava marcada há dias (era para para tratar da morte daquele turista francês que caiu dos Arcos da Lapa) e, portanto, o Secretário de Transportes Júlio Lopes não havia sido convocado.

Por fim, recomendo a leitura das matérias abaixo.

 Antonio Pastori – Presidente da AFPF

 

 

O bonde como resposta a crise de mobilidade

 Notícia publicada no jornal O Dia dando que “bondes portugueses são aprovados para Santa Teresa” pode parecer somente um alento para os apaixonados por um dos bairro mais charmosos do Brasil e por um modo de vida mais humano, mas é muito mais.

Os bondes quando apareceram representavam o mais moderno transporte mundial e ajudaram a construir e a formatar as Cidades Modernas. No Brasil eles chegaram cedo, no Rio de Janeiro foi antes de toda a Europa, a excessão da França, e o primeiro de MInas começou a operar em Juiz de Fora em 1871. A tecnologia era tão moderna que a implantação se dava através de precoces PPPs, mas quando acabava o dinheiro sobrava para o Poder Público Municipal a responsabilidade de manter os bondes. O declínio dos bondes na América Latina coincide com o crescimento do transporte individual nos EUA, uma vez que a retirada de circulação dos bondes de lá implicou na falta de peças de reposição para boa parte dos sistemas latino-americanos. Mas será que esse seria um motivo suficiente?

Das centenas de sistemas de bonde de passageiros funcionando no pós-guerra, apenas a linha de Santa Teresa continuou a funcionar e sob a responsabilidade do poder público, assim como a Carris de Portugal. Como toda a Europa também Portugal está sistematicamente investindo no retorno dos bondes. E esse retorno dos bondes modernos, hoje conhecidos como Veículos Leve sobre Trilhos (VLT), é uma resposta a crise da mobilidade ocasionada pelo excesso de carros e marca o fim do Império dos Automóveis que terão agora de aprender a conviver com reserva de espaço para o transporte público e com níveis crescentes de restrição de tráfego.

Importante lembrar o documentário Taken for a Ride (96) que mostra a grande indústria norte-americana de automóveis, de pneus e de petróleo como responsáveis pelo fim dos bondes nos EUA colocando os interesses financeiros acima do interesse dos próprios cidadãos americanos. Quem sabe o retorno dos bondes não possa significar o fim de outros impérios?

Uma equipe da Comissão Interventora da Central, empresa que administra o bonde de Santa Teresa, voltou este fim de semana de Portugal entusiasmada com as instalações da Carris, que opera os bondes de Lisboa. O grupo deve apresentar amanhã ou depois a decisão sobre a contratação da consultoria da firma portuguesa para melhorar a gestão e a operação dos bondes cariocas.

Os interventores constataram que é possível a substituição do sistema de contratrilhos, usados em Santa Teresa, por bilabiados, que são utilizados em Lisboa e reduzem riscos de acidentes em terrenos irregulares. “Os técnicos brasileiros já apontavam os bilabiados como mais seguros mas, vendo os bondes rodarem sobre os mesmos, pode-se ter a real ideia da confiabilidade e segurança proporcionadas por esse tipo de equipamento”, disse Rogério Onofre, presidente do Detro, que comanda a intervenção.

Caso o contrato com a Carris seja fechado, os portugueses já chegam ao Rio na primeira semana de outubro para prestarem consultoria.

 

Nelson Dantas Filho

ONGtrem – transporte e ecologia em movimento

Galeria de ex-presidentes

A ex-presidente da Aenfer, engenheira Clarice Maria de Aquino Soraggi, descerrou a fita de sua foto oficial para a galeria dos ex-presidentes, onde foram incluídos seus dois últimos mandatos (2004 a 2007 e 2007 a 2010). Clarice foi homenageada com um buquê de flores, presente da Diretoria entregue pela vice-presidente Isabel Cristina Junqueira de Andréa ao lado do presidente Luiz Lourenço. O descerramento foi realizado no dia 22 de setembro, mesmo dia da posse no triênio 2011 a 2014 de um terço dos membros dos conselheiros, do suplente de representante no Crea-RJ, e a entrega da Condecoração Engenheiro Paulo de Frontin.

14/07/2011 – Festa dos aniversariantes de julho

AENFER celebra festa dos aniversariantes de julho e comemora o Dia do Amigo

Com a festa dos aniversariantes do Mês de julho dia 14 a Aenfer comemorou, também, o Dia do Amigo.

Dentre outras homenagens, foi montado um painel com fotos de nossos associados que compareceram a vários eventos, com frases alusivas a amizade, o que provocou grande emoção nas pessoas presentes.

Comemoraram conosco os aniversariantes:  Alcília, Armando Meton, Fernando Costa, Fernando Garcia, Filomena, Isabel, Lucy e Reinaldo.

A Aenfer ofereceu um presente a todos os aniversariantes e vários associados foram contemplados com brindes sorteados.

A Associação tem a satisfação de receber um número cada vez maior de associados e amigos para a comemoração mensal da festa dos aniversariantes do mês.

09/06/2011 – Festa dos aniversariantes de junho

No mês de junho os aniversariantes comemoram no arraiá da Aenfer

No dia 09 de junho a Aenfer recebeu os aniversariantes Paulo Depes, Walter Gêd, José Botino, Carlos Rommes, Marcelo Freire, Maria do Rosário (Nazinha), Pedro Marques, Jonair Antunes, Paulo César Amaral, Marly da Silva Netto e Fernando dos Santos Lima, além de associados que vieram prestigiar os colegas que fizeram aniversário.

As comidas típicas que não podem faltar em festas juninas abriram o animado e concorrido “arraiá da Aenfer”.

Na ocasião, além dos aniversariantes que ganharam presentes, os participantes foram contemplados com brindes sorteados pela Diretoria.

Em nome do presidente Luiz Lourenço, o diretor de Acompanhamento Judicial Celso Paulo falou da alegria em receber os amigos em uma casa que deve permanecer ativa e democrática.

12/05/2011 – Festa dos aniversariantes de maio

Aenfer celebra festa dos aniversariantes de maio e homenageia o dia das mães

A Aenfer recebeu no dia 12 maio associados e amigos que participaram da festa dos aniversariantes do mês no Espaço Cultural Carlos Lange de Lima. A diretora Social Telma Regina homenageou através de sorteio a mãe do ano. A associada Marlina Paixão foi contemplada, assim como Maria Regina, coroada a rainha mãe, cuja coroa foi um presente da associada Idalina. A diretora Telma Regina recebeu da vice-presidente Isabel Cristina o prêmio de avó do ano.

O animado associado Jorge Bernardo que comemorou 88 anos foi o homenageado especial da festa. Comemoram também conosco os aniversariantes Joel Narciso, Jorge Bernardo, Marco Francisco, Waldo Sette, Stella Le Coq, Edila Jácomo, Ana Campio, Aldy Marques e Alexandre Júlio.

14/04/2011 – Aniversariantes de abril

No dia 14 de abril a Aenfer recebeu os aniversariantes para comemorarem a data. Além deles que foram carinhosamente recebidos e presenteados, muitos associados compareceram e foram contemplados com vários brindes sorteados pela diretora Telma Regina durante a realização do evento.  O presidente Luiz Lourenço agradeceu a presença de todos e disse que é uma grande alegria recebê-los. Estiveram presentes os aniversariantes Maria de Fátima Faria Alves, Wanderley Alvarenga Cortes, José Geraldo Correa Loques, Antônio Barbosa, Paulo Gomes Athayde, Carlos Alberto Teixeira Duval, Mário Expedito da Silva, Elias Serra, Rubem Eduardo Ladeira, Guilhermina Sueli e Norman Johnson.