Palestra Técnica – Mobilidade nos Transportes

O engenheiro Sergio Iaccarino participou do encerramento do Ciclo de Palestras Técnicas de 2018 promovido pela Aenfer, dia 07 de novembro.

Mobilidade nos Transportes de Carga e Urbano no Brasil: Logística, Infraestrutura, Governança e Competitividade nos Trilhos foi o tema apresentado

Iaccarino abriu sua apresentação partindo como ideia central contextualizar a mobilidade (ou a falta dela). Disse que a distribuição intermodal de transporte no Brasil é irracional porque é associada a ausência de equilíbrio de sua logística institucional pela não utilização dos modos mais eficientes sob os pontos de vistas econômico, energético e ambiental. Para o palestrante, técnicos e políticos deveriam convergir, visando na mutação de paradigma.

Segundo o engenheiro, a multimodalidade passa a ser uma exigência de modernidade. A política de protagonismo para os modos mais eficientes potencializarão uma matriz intermodal equilibrada, com integração logística e sustentabilidade, disse. De acordo com o palestrante, precisamos definir que o transporte sobre trilhos é preponderante sobre os demais modos e somente passível de comparação com o modo aquaviário. Ele atestou que não se pode ter uma matriz intermodal cara, com 60% sendo transportada por rodovia. Para ele, qualquer governo deveria mudar essa logística e considera insustentável manter a prevalência do transporte rodoviário. Ele alertou para a baixa qualidade de infraestrutura  nesse  modo e destacou  que falta qualidade nas rodovias. Sobre logística de carga, foi apresentado um gráfico que mostra o Brasil, acompanhado de outros países desenvolvidos, como a França e a Alemanha, mas com dimensão geográfica equivalente ao estado de Minas Gerais onde o maior destaque é para o modo rodoviário, diferente da China, E.U.A e Rússia onde a prevalência é ferroviária.

Planos de mobilidade urbana – o engenheiro  relembrou, quando, na AENFER, questionou com o então secretário de Transportes do Estado do Rio de Janeiro Carlos Roberto Osório sobre a implantação do BRT no Rio de Janeiro, na época sendo apresentado como um modelo eficiente, o que não se vê na prática.

Ele comparou os modos mais eficientes, ao se analisar as partes ambiental, econômica e energética. Falou sobre o BRT e VLT com relação a custos de implantação e faixa de capacidade de transporte.

Sobre as desvantagens do BRT ele destacou o impacto ambiental; tendência a degradar o entorno; por ser um sistema aberto pode causar insegurança aos usuários; com a operação ao nível da rua, acidentes são possíveis e condições climáticas afetam o sistema. Já o VLT tem tração elétrica, sem emissão de gases, é compatível com área de pedestres, tem corredor parcialmente reservado, circula em centros históricos, é um transporte elétrico sobre..trilhos.

O palestrante falou da política nacional de mobilidade urbana, que é um dos instrumentos de desenvolvimento urbano  no  Brasil e  tem   como   finalidade   a integração entre os diferentes modos de transporte e a melhoria  da acessibilidade e da mobilidade de pessoas e cargas.

Eu seu estudo, Iaccarino destacou a importância de atender três atributos: espaço, tempo e estado, permitindo a possibilidade das pessoas se deslocarem de onde estão para onde desejam, chegarem ao destino dentro do tempo necessário e mais do que chegar aonde se deseja, chegar no tempo que precisa com conforto e segurança.

O engenheiro mostrou a  situação atual da rede metropolitana do Rio de Janeiro e salientou sobre a prevalência contraditória do modo rodoviário de transportes e consequente subutilização dos modos sobre trilhos e aquaviários e a ausência de um planejamento integrado das políticas setoriais, além da necessidade urgente de criação de uma governança metropolitana.

Especialista de Infraestrutura Sênior do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Iaccarino encerrou a palestra dando a oportunidade ao público presente de debater sobre o tema. Técnicos e engenheiros participaram do evento.

 

 

MP do Fundo Ferroviário não é votada na Câmara e perderá validade

Após obstrução de partidos, o plenário da Câmara encerrou as atividades de hoje (28) sem apreciar a Medida Provisória 845/18, que cria o Fundo Nacional de Desenvolvimento Ferroviário (FNDF). A MP, que perde a vigência hoje, ainda precisava ser analisada pelo Senado para que continuasse em vigor.

Segundo o governo, o fundo possibilitaria investimentos no setor, principalmente no Norte do país, ao reduzir custos de transportes, da emissão de poluentes e do número de acidentes em rodovias. No entanto, a proposta enfrentou resistência na Câmara. Semana passada, o plenário rejeitou o projeto de lei de conversão da MP, que propunha a aplicação dos recursos exclusivamente nessa finalidade.

Com a tentativa fracassada em votar a MP, o líder do governo, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), afirmou que é preciso dialogar para que a pauta do plenário seja construída após consenso entre os líderes partidários.

“Nos cabe enquanto governo, ter a sensibilidade unida à responsabilidade de aqui nessa Casa debatermos e construirmos uma pauta de votação que, antes de tudo, possa respeitar o nosso país”, disse. “Tem matérias importantes que o governo atual não vai usar da irresponsabilidade, de aqui ajudar a se aprovar matérias que possam impactar o novo governo, que cabe também a responsabilidade da transição. Não vamos aqui fazer proselitismo político”, completou Ribeiro.

Fundo

A MP chegou a ser aprovada há duas semanas na comissão mista que analisava o tema. O objetivo do fundo, cuja previsão de funcionamento era de cinco anos, era ampliar a capacidade logística do Sistema Ferroviário Nacional. Entre as fontes previstas para o FNDF estavam recursos do Orçamento da União, doações, além de arrecadações com a outorga de concessões de trechos de ferrovias.

Fonte: Agência Brasil – EBC, 28/11/2018 

CBTU atinge mais alto nível

Assim como um trem, que para oferecer uma viagem segura e pontual depende de ação integrada de diversos fatores técnicos, uma empresa, para funcionar com excelência, carece de mão-de-obra capacitada, integrada e colaborativa”, resumiu o presidente da CBTU, José Marques de Lima, ao atribuir ao trabalho dos empregados a elevação da empresa ao nível máximo junto ao Indicador da Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais, o IG SEST, desenvolvido pelo Ministério do Planejamento.
O índice busca promover e implantar melhores práticas de mercado e ampliar o nível de governança corporativa nas empresas estatais. Estes mecanismos de avaliação atravessam três ciclos de desempenho, nos quais a CBTU vem apresentando constante evolução em se adequar às exigências da Lei 13.303/2016, que estabelece diretrizes e metas ligadas à transparência, auditorias, controles internos e plena operação de ouvidorias e comitês de gestão.
De acordo com o presidente, assim como nos trens operados pela CBTU, a atuação do coletivo e a sinergia entre empregados dos diferentes departamentos garantem à Companhia um patamar de destaque e reconhecimento na estrutura do Governo Federal.

“Ao sermos incluídos no nível máximo de satisfação ao crivo da SEST, agradeço a cada empregado desta Companhia, dedicada a transportar vidas e a assegurar a mobilidade necessária ao desenvolvimento regional e social de tantas cidades de nosso país”, ressaltou José Marques.

Fonte: Ascom – CBTU, 28/11/2018

Audiência Pública

A Assembleia Legislativa de Minas Gerais irá receber ferroviários e ferroviaristas na próxima segunda-feira (03), às 10 horas.

Os parlamentares estarão reunidos para tratar da pauta de reivindicação de recursos de multa para recuperação de linhas ferroviárias.

O encontro contará com a presença do vice-presidente da Associação Fluminense de Preservação Ferroviária – AFPF  Antonio Pastori e será realizado no Salão Nobre do Centro Administrativo Municipal (Rua Gomes Barbosa, nº 803, Centro, Viçosa-MG.

A realização é da Comissão Parlamentar Extraordinária Pró-Ferrovias Mineiras da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

 

 

Trem que vai ligar Minas ao Rio pode ser inaugurado em janeiro

Rumo ao futuro, sem sair dos trilhos. A morte do presidente da organização não governamental (ONG) Amigos do Trem, Paulo Henrique do Nascimento, cujo corpo foi cremado na sexta-feira, em Matias Barbosa, na Zona da Mata, não vai paralisar o projeto Trem Turístico Minas-Rio, que pretende ligar Cataguases (MG) e Três Rios (RJ). “A expectativa é que a inauguração ocorra em janeiro”, afirmou, ontem, a sobrinha de Paulo Henrique, Cyntia Nascimento, em atuação nas áreas de comunicação e assistência social da ONG. Ela acrescentou que os oito prefeitos da região beneficiada deram total apoio à iniciativa, que tem ainda no roteiro Leopoldina, Recreio, Volta Grande, Além Paraíba, Chiador e Sapucaia.

Lembrando o espírito guerreiro de Paulo Henrique, que terá as cinzas lançadas ao longo do trecho Cataguases-Três Rios, na viagem inaugural do trem turístico, Cyntia contou que hoje haverá uma reunião com todos os envolvidos no projeto turístico para acertar as próximas ações. No município fluminense de Três Rios, a prefeitura faz obras, que deverão ser concluídas em um mês. “Estamos muito tristes com a perda, mas confiantes, pois era um projeto muito importante para meu tio, um ardoroso defensor das ferrovias”, afirmou.

Os trens são alvo de debate na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), em audiências da Comissão Extraordinária Pró-Ferrovias Mineiras. Na quinta-feira, o tema foi exatamente aqueles destinados ao turismo. Segundo os participantes das discussões, conforme nota divulgada pelo Legislativo, “o principal entrave é convencer as concessionárias de que é possível dividir as linhas, hoje praticamente tomadas pelo transporte de carga, com o transporte de passageiros”.

GUERREIRO

Natural de Juiz de Fora e com 45 anos, sem filhos, Paulo Henrique faleceu na tarde de quinta-feira, no Rio de Janeiro (RJ), depois de lutar durante quatro anos contra câncer de pulmão – ele estava internado no hospital Adão Pereira Nunes.

Em março, o Estado de Minas publicou uma matéria sobre o projeto e, dois meses depois, outra reportagem e um vídeo, feito pelo repórter fotográfico Edésio Ferreira, de grande repercussão na internet: foi compartilhado mais de 11 mil vezes e alcançou mais de 1 milhão de pessoas.

A equipe do jornal acompanhou a viagem-teste em 19 de maio, de Recreio  a Cataguases, ambos municípios da Zona da Mata.

AUDIÊNCIA

A Comissão Extraordinária Pró-Ferrovias Mineiras, presidida pelo deputado João Leite (PSDB) vem se reunindo para discutir a questão das ferrovias. Em Minas, conforme levantamentos dos parlamentares do grupo, há formatados pelo menos três projetos para implantação de circuitos turísticos de trens de passageiros no estado. Um dos projetos, desenvolvido pela Oscip Apito em parceria com a ONG Cidades, se refere a linha para ligar o Bairro Belvedere, em Belo Horizonte, ao Instituto Inhotim, em Brumadinho, na Grande BH, centro de arte que atrai visitantes do mundo inteiro.

De acordo com o presidente da Apito, Sérgio Motta de Melo, BH-Inhotim seria uma linha de 51 quilômetros de extensão, que usaria vagões abandonados do antigo trem de passageiros Vera Cruz, que ligava Minas ao Rio. O trem começaria a operar progressivamente a%té atingir um total de 10 vagões de luxo, com capacidade para 780 passageiros.

Fonte: Em.com.br, 28/11/2081

Gustavo Werneck

Para onde vão nossos trilhos?

Vice-presidente da Federação das Associações de Engenheiros Ferroviários – FAEF, engenheira Clarice Maria de Aquino Soraggi, ministrará palestra nesta quarta-feira (28) na Seaerj. Ela abordará o tema:

Para onde vão nossos trilhos?

A palestra será às 10h30 na sede da Seaerj, com entrada franca!

Rua do Russel, 01 – Glória-RJ

 

Mais rigor para trens, metrô e barcas

Citada pelos investigadores da Lava Jato do Rio de Janeiro, pela pouca eficiência na cobrança dos serviços prestados pelas empresas envolvidas no escândalo, a Agetransp passa por uma reestruturação, onde serão implantadas alternativas para aumentar o rigor na fiscalização, no controle das práticas internas e na gestão de risco.

Entre as novidades já implantadas está a criação da consulta pública, reunião periódica dos técnicos da Agetransp com representantes das prestadoras de serviço (CCR Barbas, Metro e Supervia), com a presença dos órgãos de fiscalização (Tribunal de Contas do Estado e Ministério Público) e dos passageiros. Não precisa se inscrever. Basta acompanhar o agendamento no site da agência e comparecer.

“Já houve duas consultas — setembro e outubro. A presença dos passageiros é discreta, mas é preciso incentivar o comparecimento para aprimorar o serviço. Basta manda a sugestão ou queixa pelo site”, reforça, Murilo Leal, conselheiro presidente da Agetransp.

A Agetransp planeja, no primeiro trimestre de 2019, que os dados dos serviços sejam analisados diariamente, para correções rápidas.

Fonte: O Dia, 24/11/2018

Lançamento da primeira excursão da AENFER em 2019

Prepare-se para mais uma excursão que a Aenfer promoverá, desta vez na Rota da Moqueca e Serras Capixabas nas cidades de: Vila Velha, Vitória, Guarapari, Domingos Martins e Venda Nova do Imigrante.

O pacote inclui:

Viagem em ônibus de turismo semi-leito;

04 noites de hospedagem em Vila Velha na Praia da Costa;

Café da manhã no hotel;

05 refeições;

City tour em Vitória e Vila Velha;

Ingresso para visita ao Projeto Tamar;

Ingressos de acesso ao Convento da Penha;

City tour em Domingos Martins e Venda Nova do Imigrante, visitando vinícola, cachaçaria, fazenda de agro turismo, parada para compras de queijo, salame, café…

Guia de Turismo local nos passeios e guia de turismo acompanhante

Valor: R$ 1.595,14 – Entrada de R$ 295,00 até 13/12/2018 e restante parcelado em 4x de janeiro a abril de 2019.

Contato: (21) 98105-8924 / (21) 3895-8421 (21) 3082-0396

Láurea ao Mérito Crea-RJ 2018

A AENFER indicou o engenheiro Mecânico Luiz Octavio da Silva Oliveira (in memoriam) para a inscrição no Livro do Mérito. A indicação foi aprovada e será entregue nesta terça-feira, 04 de dezembro. O evento é concedido pelo Crea-RJ que tem como objetivo, destacar profissionais ou entidades que se dedicaram em prol da Engenharia.

Feitos relevantes do homenageado:

Se notabilizou nos últimos 25 anos na luta incessante em prol da “Preservação Ferroviária no Brasil” e em especial no Rio de Janeiro. Fundador e diretor da Associação de Ferromodelismo no Rio de Janeiro em 1986;

Fundador e diretor da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária – ABPF (Regional Rio de Janeiro) em 1986;

Liderou as ações junto a RFFSA e CBTU para reativação da E.F. Mauá em 1986;

Fundador e diretor da Associação Fluminense de Preservação Ferroviária – AFPF em 1990;

Liderou o Grupo da AFPF na preservação da faixa da Estrada de Ferro, incluindo a sua Via Permanente no trecho de 32 km da                   antiga Linha Auxiliar da EFCB entre Governador Portela, Miguel Pereira e Vila Rica e implantou no trecho entre Miguel Pereira e Governador Portela uma operação utilizando auto da linha de inspeção e carro reboque para passageiros tipo jardineira

 

Em comemoração ao Dia do Engenheiro, o Crea-RJ concede o Diploma do Mérito e a inscrição do Livro do Mérito 2018, homenageando e reconhecendo profissionais, entidades de classe e instituições de ensino que tenham se destacado em prol da Engenharia, da Agronomia e das demais modalidades profissionais do Sistema Confea/Crea.

A entrega aos homenageados será realizada no dia 04 de dezembro de 2018 no Clube de Engenharia às 18 horas.

Av. Rio Branco, 124 – 25º andar – Centro-RJ

 

Luto ferroviário

A Aenfer informa que o fundador da ONG Movimento Nacional Amigos do Trem e idealizador do Projeto Rio/Minas, Paulo Henrique do Nascimento, faleceu nesta quinta-feira (22).

Sem nenhum interesse financeiro e às suas próprias custas, Paulo Henrique viajou por quase todo o país, no sentido de resgatar o transporte ferroviário, conseguiu juntamente com outros abnegados ferroviários aposentados, restaurar duas automotrizes e três carros poltronas e um restaurante do saudoso Santa Cruz. Apesar da forte oposição da MRS, depois de muita luta e perda da saúde, conseguiu finalmente sensibilizar a  Prefeitura de Miguel Pereira com a inauguração do Trem Serra Azul.

Em 2015 ele recebeu, pela Aenfer, a Condecoração Engenheiro Paulo de Frontin por sua incansável luta em prol da ferrovia brasileira.

Na época, ele agradeceu por estar recebendo a homenagem e disse que o prêmio era para todas as pessoas que lutam pela causa ferroviária, uma luta difícil, mas acreditava que todos teriam grandes méritos. Ele disse ainda que a homenagem o fortalecia cada vez mais para poder continuar em frente e vencer os obstáculos.

Paulo estava internado para tratar um câncer de pulmão. Agora está na Estação do Céu percorrendo os trilhos da luz. Que Deus o abençoe!

O corpo será velado em Juiz de Fora e o sepultamento está previsto para sexta-feira, 23/11.