Últimas notícias sobre o Acordo Coletivo dos ferroviários

Tomamos conhecimento de mais uma artimanha da Valec no sentido de prejudicar, mais uma vez, a categoria ferroviária, manobrando nos bastidores para adiar o julgamento do nosso dissídio coletivo 2017/2018, cuja audiência já estava marcada para o dia 14/05, que pasmem, foi postergada para o dia 11/06, sob o pretexto de novas negociações. Ora, uma empresa que nunca quis negociar, desde maio de 2017, oferecendo sempre um índice de reajuste de 0%, vem agora, às vésperas da audiência, propor reabrir negociações.

Causa-nos estranheza que com o dissídio suspenso aconteça uma reunião de mediação entre a VALEC e os sindicatos ligados a FNIST no TST no mesmo dia da cancelada audiência, com contraproposta danosa à categoria ferroviária.

Permitimo-nos relembrar que em 2002 aconteceu algo assemelhado, quando assinaram com os liquidantes da extinta RFFSA o famigerado acordo aceitando o percentual de reajuste de 9%, embora já tivéssemos uma sinalização na casa de mais de 20%, o que levou a intensa batalha no TST que resultou num reajuste de 14%.

Aguardamos atitudes firmes da FNTF e dos seus sindicatos na defesa intransigente dos nossos direitos.

Gostaríamos de registrar que a VALEC, a partir de maio de 2014, vem se utilizando do orçamento executado da folha de pagamento dos empregados da extinta RFFSA para atender as promoções e ascensões dos empregados do seu quadro próprio.

Igualmente, a expectativa da AENFER é a de que os Ministros do TST reconheçam a extrema situação de dificuldade da categoria e nos devolvam o que nos é de direito. A

Diretoria da Aenfer

1 Comentário

  1. José Arnaldo de Castro disse:

    Em 22 de maio de 2018

    Gostaria de propor aos colegas da AENFER de da FNTF que a partir do ano que vem (2019) com um novo governo, encabecem um movimento para que os ferroviários aposentados da extinta RFFS/A passem a ser novamente incorporados ao Ministério dos Transporte, aliás, que é o ministério a que sempre fomos subordinados. Penso que com isso, ficará mais fácil as negociações de aumento salarial. Já li que o GEIPOT está no Ministério dos Transporte, o que antes da sua extinção já era subordinado àquele ministério. Sei que será difícil essa negociação, mas com um novo governo este poderá se sensibilizar com nossa precária situação salarial.

Deixe um comentário

voltar para página inicial

Av. Presidente Vargas, 1733 - 6° e 7° andar - CEP 20210-030 - Centro - Rio de Janeiro - telefax: (21) 2221-0350 / (21) 2222-1404 / (21) 2509-0558 - aenfer@aenfer.com.br