Esclarecimento aos nossos associados

Em prosseguimento ao assunto iniciado junto ao Codel-REFER em nossa carta C.025/2020, já de conhecimento anterior dos associados, que tratou da “Solicitação da AENFER para o Adiamento de Desconto das Parcelas de Empréstimos Concedidas aos Participantes da REFER”, esclarecemos:

A Fundação Rede Ferroviária de Seguridade Social – REFER, por meio da Carta CRT/060-2020/CODEL, de 01/04/2020, formalizou resposta sobre o assunto, informando não haver possibilidade de atendimento, conforme razões constantes da carta citada, e aqui anexada para conhecimento dos nossos Associados.

Cabe aqui esclarecer, que tendo a AENFER por motivos operacionais, devido às alterações no funcionamento de diversos serviços, causados pela pandemia do Covid-19, não ter tido conhecimento da resposta da REFER e, portanto tendo reiterado erroneamente o mesmo – C.027/2020, de 14/05/2020, também de conhecimento anterior, emitimos carta C.030/2020, de 22/05/2020, à Fundação, esclarecendo e desculpando-nos pelo ocorrido.

Desta forma, estamos anexando as correspondências CRT/060-2020-REFER e C.030/2020-AENFER e, conforme os termos de nossas cartas, entendemos que cabe por parte da Fundação nova deliberação sobre o assunto, inclusive, se for o caso, de gestão junto aos seus Órgãos Fiscalizadores, para a exemplo de outros Entes Públicos, que neste momento de excepcionalidade buscaram soluções, fora de normas e regras válidas para tempos normais, para atenuar os impactos sobre a vida das pessoas a eles vinculados. 

A Diretoria

Seguem nos anexos, as demais correspondências

CRT 060-2020-CODEL_Resposta à AENFER 02

C030 2020 Esclarecimento CODEL e Presidente 03

 

1 Comentário

  1. Sergio Murilo Ramos de Paiva disse:

    Embora respeitando os colegas ferroviários que assinaram a resposta do CODEL à essa AENFER, gostaria de assinalar algumas divergências quanto às justificativas apresentadas, quais sejam:

    Inicialmente as justificativas ignoram a situação de pandemia que vige no mundo, não só no Brasil. É uma situação de exceção em toda a sua abrangência.
    Tanto isto é verdade que muitas,se não todas, as fundações tomaram medidas suspensivas da cobrança das parcelas de empréstimo de seus assistidos. Será que houve uma rebeldia generalizada dessas fundações?
    A seguir, os missivistas consideram que receber em dia e não ter problemas para fazê-lo são justificativas para tornar os assistidos imunes às dificuldades econômico financeiras que se abatem pela imensa maioria dos brasileiros e, portanto, dos ferroviários.
    Vale lembrar aos distintos colegas, dos enormes esforços que a AENFER , os Sindicatos e outras agremiações, defensoras dos direitos dos ferroviários,têm feito no sentido de que nosso salário, tão defasado, seja minimamente corrigido. Digo isso porque não conheço ferroviário que não tenha pedido empréstimo à REFER, que não fosse para fazer frente às suas dificuldades; aliás, esse é o espírito que norteou a REFER para oferecer o empréstimo.
    Lembro aos colegas que no momento em que temos tantos desempregados, que a economia informal praticamente parou e que os profissionais liberais estão em dificuldades,certamente um grande número de ferroviários, por todo o Brasil, está sendo o esteio de sua família, aí incluídos, filhos, netos,etc.
    Apelo à direção da REFER para rever sua posição inicial e que invista no seu maior patrimônio, o assistido.

Deixe um comentário

voltar para página inicial

Av. Presidente Vargas, 1733 - 6° e 7° andar - Centro - telefax: (21) 2221-0350 / (21) 2222-1404 / (21) 2509-0558