Justiça dá prazo para a SuperVia explicar mudanças

A polêmica envolvendo a exclusão do Ramal Deodoro da SuperVia e a transformação da linha Santa Cruz em parador segue em uma disputa judicial. O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) informou que a SuperVia deve justificar as mudanças na operação que funcionam desde o dia 8 de junho. A empresa terá 20 dias para responder aos questionamentos.

De acordo com o compositor Danilo de Oliveira, de 29 anos, um dos usuários responsáveis pela ação, a superlotação nos ramais aumentou principalmente após a flexibilização do isolamento no estado do Rio. Ele explica que usuários que utilizam as linhas antes atendidas pelo ramal Deodoro, na Zona Norte, migraram para os trens que atendem os passageiros do Japeri, único que segue com a operação expressa e que tem a Baixada Fluminense como destino.

“Não há um estudo técnico, a SuperVia diz que a mudança está sendo testada. É uma contradição falar que vão testar a superlotação de um transporte de massa como o trem, em uma cidade que faz a flexibilização e em um estado que não se testa a população pra covid-19. Esperamos que a Justiça não aposte a vida de milhares de pessoas como a SuperVia está fazendo”, disse.

Danilo conta que voltou ao trabalho após a flexibilização e que ambos os ramais Japeri e Santa Cruz têm apresentado uma superlotação além do normal e em diversos horários do dia.

“Eu saio de Madureira para a Central por volta de 9h30 e retorno entre 17h e 18h. Com o ramal Santa Cruz Expresso, nós da Zona Norte levávamos 23 minutos com duas opções, ele e o Japeri. Só com o parador, o tempo dobra e o trem sai lotado. Eu pego o Japeri cheio, que é o único fazendo o serviço expresso, mas chego ao meu destino mais rápido”, conta.

Procurada, a SuperVia disse que se manifestará quando receber a notificação do Tribunal de Justiça. Confira a nota na íntegra:

A concessionária esclarece que o planejamento operacional que envolve a interligação dos ramais Santa Cruz e Deodoro, colocado em prática em 8/06, foi definido a partir de estudos técnicos que apontaram que, antes das medidas de restrição para enfrentamento ao novo Coronavírus, os trens dos ramais Japeri e Santa Cruz ficavam muito cheios em alguns momentos do dia e paravam muito na sinalização, em função de cruzamentos, já que dividiam a mesma linha. Em paralelo, no ramal Deodoro, os trens que percorrem uma distância muito mais curta, ficavam bem mais vazios.

Em relação à superlotação dos ramais, comentada por alguns clientes, a SuperVia informa que vem monitorando com rigor o novo modelo operacional desde o seu primeiro dia e é importante destacar que os dados foram obtidos e analisados de acordo com a metodologia de cálculo definida e fiscalizada pela Agetransp. Nessa segunda semana (15 a 19/06), por exemplo, foi verificado que, em comparação à semana anterior, houve aumento de apenas 3,3% na quantidade de clientes usando os trens. A maior taxa de ocupação no ramal Japeri foi de 34%, e no ramal Santa Cruz de 35%, ou seja, a taxa de ocupação média foi reduzida e permanece bem abaixo do patamar máximo de 50% estabelecido pelo Decreto Estadual 46.973/20. Também estão mantidos os ganhos de tempo das viagens. O ganho mais significativo ocorreu no pico vespertino do ramal Japeri, que passou a ser 10 minutos mais rápido do que antes das restrições para combate ao novo Coronavírus. E os trens paradores do ramal Santa Cruz foram 2 minutos mais rápidos do que os trens expressos que circulavam nesse ramal antes das restrições.

A SuperVia lembra que esse novo planejamento operacional está garantindo 522 mil lugares a mais por dia nas composições (em dias úteis), o que corresponde a um aumento de 60% em relação à grade anterior. Desses, 236 mil lugares foram adicionados nos horários de pico matutino e vespertino. Também foram incluídas partidas de estações estratégicas dos ramais Japeri e Santa Cruz. A redução de intervalos será progressiva, conforme o retorno da demanda de passageiros.

Sobre os intervalos:

Na primeira semana da nova programação, a SuperVia registrou a diminuição do tempo de viagem dos expressos do ramal Japeri, em até 9 minutos, e aumento máximo de 6 minutos nas viagens do ramal Santa Cruz. Para melhorar o fluxo dos clientes, desde a última segunda-feira (22/06) a SuperVia fez alterações para reduzir os intervalos médios no início dos horários de pico em trechos do ramal Santa Cruz. As melhorias começaram entre 5h e 6h, com redução do intervalo médio entre as estações Santa Cruz e Benjamim do Monte (de 20 para 15 minutos). No pico da tarde, das 16h às 17h, também foi reduzido o intervalo médio entre as estações Campo Grande e Santa Cruz (de 20 para 12 minutos)”.

Alteração nos ramais

A alteração no percurso do Ramal Santa Cruz passou a ser feita a partir de 8 de junho e é realizada com a descontinuidade do ramal Deodoro e, com isso, a linha que atende à Zona Oeste opera também para passageiros da Zona Norte. A SuperVia decidiu continuar com o serviço expresso apenas para quem utiliza o ramal Japeri, que vai para a Baixada Fluminense. Este segue com o percurso habitual, parando apenas nas estações São Cristóvão, Maracanã, Engenho de Dentro e Madureira, antes de Deodoro. A passagem segue com o valor de R$4,70.

Quando a mudança foi anunciada, um dia antes de serem colocadas em prática, a SuperVia alegou que todas as alterações serão estudadas enquanto ocorrem no dia-a-dia e caso funcionem, elas poderão ficar de maneira permanente. Os usuários, no entanto, não aprovaram e pedem a volta do Ramal Deodoro.

Fonte: O Dia, 23/06/2020

Comentários fechados.

voltar para página inicial

Av. Presidente Vargas, 1733 - 6° e 7° andar - Centro - telefax: (21) 2221-0350 / (21) 2222-1404 / (21) 2509-0558