Palestra Técnica – Mobilidade nos Transportes

O engenheiro Sergio Iaccarino participou do encerramento do Ciclo de Palestras Técnicas de 2018 promovido pela Aenfer, dia 07 de novembro.

Mobilidade nos Transportes de Carga e Urbano no Brasil: Logística, Infraestrutura, Governança e Competitividade nos Trilhos foi o tema apresentado

Iaccarino abriu sua apresentação partindo como ideia central contextualizar a mobilidade (ou a falta dela). Disse que a distribuição intermodal de transporte no Brasil é irracional porque é associada a ausência de equilíbrio de sua logística institucional pela não utilização dos modos mais eficientes sob os pontos de vistas econômico, energético e ambiental. Para o palestrante, técnicos e políticos deveriam convergir, visando na mutação de paradigma.

Segundo o engenheiro, a multimodalidade passa a ser uma exigência de modernidade. A política de protagonismo para os modos mais eficientes potencializarão uma matriz intermodal equilibrada, com integração logística e sustentabilidade, disse. De acordo com o palestrante, precisamos definir que o transporte sobre trilhos é preponderante sobre os demais modos e somente passível de comparação com o modo aquaviário. Ele atestou que não se pode ter uma matriz intermodal cara, com 60% sendo transportada por rodovia. Para ele, qualquer governo deveria mudar essa logística e considera insustentável manter a prevalência do transporte rodoviário. Ele alertou para a baixa qualidade de infraestrutura  nesse  modo e destacou  que falta qualidade nas rodovias. Sobre logística de carga, foi apresentado um gráfico que mostra o Brasil, acompanhado de outros países desenvolvidos, como a França e a Alemanha, mas com dimensão geográfica equivalente ao estado de Minas Gerais onde o maior destaque é para o modo rodoviário, diferente da China, E.U.A e Rússia onde a prevalência é ferroviária.

Planos de mobilidade urbana – o engenheiro  relembrou, quando, na AENFER, questionou com o então secretário de Transportes do Estado do Rio de Janeiro Carlos Roberto Osório sobre a implantação do BRT no Rio de Janeiro, na época sendo apresentado como um modelo eficiente, o que não se vê na prática.

Ele comparou os modos mais eficientes, ao se analisar as partes ambiental, econômica e energética. Falou sobre o BRT e VLT com relação a custos de implantação e faixa de capacidade de transporte.

Sobre as desvantagens do BRT ele destacou o impacto ambiental; tendência a degradar o entorno; por ser um sistema aberto pode causar insegurança aos usuários; com a operação ao nível da rua, acidentes são possíveis e condições climáticas afetam o sistema. Já o VLT tem tração elétrica, sem emissão de gases, é compatível com área de pedestres, tem corredor parcialmente reservado, circula em centros históricos, é um transporte elétrico sobre..trilhos.

O palestrante falou da política nacional de mobilidade urbana, que é um dos instrumentos de desenvolvimento urbano  no  Brasil e  tem   como   finalidade   a integração entre os diferentes modos de transporte e a melhoria  da acessibilidade e da mobilidade de pessoas e cargas.

Eu seu estudo, Iaccarino destacou a importância de atender três atributos: espaço, tempo e estado, permitindo a possibilidade das pessoas se deslocarem de onde estão para onde desejam, chegarem ao destino dentro do tempo necessário e mais do que chegar aonde se deseja, chegar no tempo que precisa com conforto e segurança.

O engenheiro mostrou a  situação atual da rede metropolitana do Rio de Janeiro e salientou sobre a prevalência contraditória do modo rodoviário de transportes e consequente subutilização dos modos sobre trilhos e aquaviários e a ausência de um planejamento integrado das políticas setoriais, além da necessidade urgente de criação de uma governança metropolitana.

Especialista de Infraestrutura Sênior do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Iaccarino encerrou a palestra dando a oportunidade ao público presente de debater sobre o tema. Técnicos e engenheiros participaram do evento.

 

 

Deixe um comentário

voltar para página inicial

Av. Presidente Vargas, 1733 - 6° e 7° andar - Centro - telefax: (21) 2221-0350 / (21) 2222-1404 / (21) 2509-0558